Casa Santa Zita recebe apresentação da OJG
casa-santa-zita

Em 2 de setembro, a Casa Santa Zita (Instituição de Longa Permanência para Idosas – ILPI, que oferece moradia, assistência espiritual, médica, social e humana, em Belo Horizonte) promoveu o evento “Chá & Prosa”. Na festa, encontravam-se as idosas que residem na instituição e seus familiares, além de amigos e funcionários do espaço. Entre as apresentações culturais, houve concerto dos jovens instrumentistas da Orquestra Jovem Gerais. Os instrumentistas emocionaram o público ao interpretarem obras eruditas e populares. No fim da apresentação, representantes do espaço presentearam os membros da OJG com uma rosa artesanal e quadro com fotografia das idosas. A Casa Santa Zita tem a missão é proteger a terceira idade, visando assegurar os direitos de idosas referentes à moradia, vida, saúde, alimentação, lazer, cultura, religiosidade e dignidade.

img_5849img_5858img_5852img_5836img_5859

Músicos se apresentam para vice-governadora de Yamanashi e comitiva
Associação Nipo brasileira

Desde a terça-feira, 9 de agosto, encontra-se em Belo Horizonte a comitiva de Yamanashi, que é uma das províncias do Japão. A equipe veio ao Brasil para resolver assuntos diplomáticos. Na quarta-feira, 10 de agosto, a delegação visitou o Centro Cultural Nipo Brasileiro Rinaldo Campos Soares, no bairro Nova Cachoeirinha, na capital mineira. No espaço, a comissão foi recebida pelos jovens instrumentistas da Orquestra Jovem Gerais. Os musicistas realizaram um concerto para os orientais. A abertura da apresentação aconteceu com a interpretação do hino do Japão e de Yamanashi. Sob a regência de Renato Pedroso, os instrumentistas interpretaram obras populares brasileiras, como Aquarela Brasileira, de Ary Barroso. A violinista Giovanna Lucillia relatou para a vice-governadora de Yamanashi, Yutaka Arai, como foi a experiência dos 28 alunos da ONG na Turnê Japão 2016. “Foi uma experiência única, pudemos aprender muito sobre a cultura japonesa, nossos concertos foram excelentes,” disse Giovanna. Yutaka Arai elogiou o concerto da OJG e disse aos musicistas para nunca perderem o entusiasmo pela vida, pois haverá sempre grandes desafios no percurso. Para fechar a visita ao espaço oriental, houve confraternização. Estiveram presentes, além de Yutaka Arai, o diretor adjunto do departamento de turismo de Yamanashi Noboru Hikawa, o chefe do escritório de políticas estratégicas internacionais Naoki Ochiai, a sênior staff da divisão de relações internacionais Yusaku Makajima, a coordenadora de relações internacionais Daniela Miwa e representantes do escritório da Embaixada Japonesa no Brasil em Minas Gerais.

IMG_5718IMG_5721IMG_5714

Orquestra Jovem Gerais realiza Turnê Japão 2016
Japão

Durante 12 dias, a Orquestra Jovem Gerais realizou sua primeira turnê no Japão. Além dos concertos no país, os instrumentistas fizeram passeios turísticos. Porém, a imersão na cultura japonesa havia começado meses antes. Os 28 jovens musicistas selecionados para a viagem tiveram palestras sobre a cultura do país e ensaios de músicas eruditas orientais.

Após longa viagem do Brasil para o Japão, musicistas e equipe técnica da OJG desembarcaram no Aeroporto Internacional de Narita, na cidade homônima, na província de Chiba, em 30 de junho. De lá, seguiram para Yamanashi, onde conheceram o Museu Jewelry, que produz e expõe pedras preciosas. Na região, houve encontro da equipe técnica da ONG com o vice-governador de Yamanashi, Wataru Hiraide. Na reunião, a cofundadora e coordenadora da Orquestra Jovem Gerais, Rosiane Reis, agradeceu o apoio da província na realização da Turnê Japão 2016.

Depois do passeio turístico e da reunião diplomática, houve o primeiro concerto da OJG no Japão. Sob a regência de Rosiane Reis e Renato Pedroso, a apresentação foi realizada no Teatro Colony Hall. O público foi agraciado com obras eruditas e populares, além de composições japonesas. Os jovens instrumentistas tiveram contato amistoso com músicos de Yamanashi.

No dia 2 de julho, a OJG apresentou-se no parque de diversão Fuji-Q Highland e no Festival de Ervas de Kawaguchik. O Fuji-Q Highland tem a maior montanha russa vertical do mundo, a Takabisha. Em seguida, foi a vez do Teatro Kawaguchiko Stellar receber os jovens instrumentistas. No palco, eles interagiram com músicos do Japão e de Taiwan. Em Matsumoto, no dia 5 de julho, os músicos brasileiros tiveram curso do método Suzuki com o violinista e maestro Koji Toyoda no Instituto Suzuki. Desde sua fundação, a Orquestra Jovem Gerais utiliza o método Suzuki em seus ensinamentos.

A Embaixada do Brasil no Japão recebeu os jovens instrumentistas, em 6 de julho, onde eles realizaram um concerto. No dia seguinte, o grupo conheceu o Templo Shintoísta, em Kamakura, acompanhou manifestações religiosas shintoístas e budistas e conheceu o Oceano Pacífico.

A Turnê Japão 2016 foi finalizada com concerto no II Festival de Música do Japão e Brasil. O violoncelista brasileiro Lucas Muramoto, naturalizado no Japão, interpretou Mourão, de Guerra Peixe, e Aquarela Brasil, de Ary Barroso, ao lado da OJG. Na apresentação da Orquestra Júnior Japonesa, Giovanna Lucillia, violinista da ONG, foi solista durante o Concerto de Bach em Ré menor. Numa apresentação conjunta, os músicos do Projeto Música sem Fronteiras e Orquestra Jovem Gerais interpretaram Asa Branca, de Luiz Gonzaga, sob a regência de Rosiane Reis. Os dois últimos dias da OJG no Japão foram dedicados a passeios turísticos, em Tóquio.

IMG_4132IMG_38482IMG_4361IMG_4445IMG_3581IMG_5037IMG_3975IMG_3518IMG_3542IMG_5320IMG_5403