Funcionários da Coca Cola FEMSA recebem homenagem com música orquestral
Coca Cola FEMSA

A Coca Cola FEMSA Brasil é um fábrica e distribuidora de refrigerantes, sucos e águas, sendo a maior franquia de Coca-Cola do mundo em volume de vendas. No Brasil, a empresa emprega 20 mil funcionários e atende cerca de 72 milhões de consumidores. Possui 64 unidades fabris e 329 centros de distribuição, sendo um deles no município de Contagem. Foi nesta unidade que a Orquestra Jovem Gerais se apresentou para funcionários, em dois mini concertos, no dia 11 de janeiro. O violinista, ex-integrante da Orquestra e atual funcionário da empresa, Wallison Pires, também participou das apresentações. Ao final, os músicos foram presenteados com um kits da marca Coca Cola.

IMG_20160111_161713061_HDRIMG_20160111_142730987IMG_20160111_161656003_HDR

Músicos participam de Cerimônia de Posse da Nova Diretoria da Gremig
Gremig

No dia 07 de janeiro aconteceu, em Belo Horizonte, a Cerimônia de Posse da Nova Diretoria Executiva e dos Conselhos Fiscais da Gremig – Associação Recreativa e Cultural dos Empregados da Cemig. A Orquestra Jovem Gerais foi convidada para participar do evento que contou com cerca de 200 pessoas, executando o hino nacional brasileiro e outras músicas de seu repertório. A plateia aprovou a apresentação com calorosos aplausos!

IMG_9666IMG_9672IMG_9670IMG_9680

Projeto Educação Musical de Ibirité realiza Cantata de Natal
Teatro Municipal de Ibirité

O Projeto Educação Musical de Ibirité atende cerca de 350 crianças de 10 escolas da rede municipal, com oficinas de flauta doce, violino, viola clássica, violoncelo e contrabaixo. No dia 22 de dezembro, aconteceu o encerramento das aulas do projeto em 2015. O evento foi realizado no Teatro Municipal de Ibirité e contou com a participação de 800 pessoas na plateia, além do apoio de colaboradores e funcionários da Orquestra Jovem Gerais.

Às 20h15, a Coordenadora Pedagógica abriu o concerto natalino com falando sobre os objetivos alcançados pelo projeto e a gratidão por todas as pessoas que contribuíram para seu sucesso. O maestro Renato Pedroso conduziu as músicas que foram interpretadas por todos os alunos atendidos, acompanhados de seus professores.

Em uma das músicas, um conterrâneo participou, tocando arcodeon. O senhor Paulo de Souza Louredo, de 69 anos toca instrumentos desde seus 8 anos de idade. Nascido e residente atual de Esmeraldas, ele nos contou que nunca estudou música e que tudo o que sabe até hoje se deu por meio de muita prática. Perguntamos a ele qual a sensação de estar tocando com os jovens: “Sensação muito boa, uma alegria imensa em tocar no meio das crianças. Se eu não fizer mais pela frente, já estou mais que realizado.”, respondeu.

O concerto teve duração de, aproximadamente, 1 hora e apresentou “Bate o Sino”, “Noite Feliz”, entre outras canções natalinas. Alunos da Orquestra Jovem Gerais também contribuíram com o evento. Michael Isaac no trompete, Felipe Costa no oboé, Samara Alves na flauta transversal e Sara Cristina na voz foram destaques nas músicas que participaram. Já no suporte, ex e atuais colaboradores da Orquestra exerceram suas funções: Gabriel Henrique na produção cultural, Aline Ayres na viola clássica, Gabriel Colombini na logística, Gabriel Fonseca no violoncelo, Kelvin Saldanha no clarinete, José Eustáquio na percussão, Matheus Felipe no violino, Pâmela Cristina no violino e Sheyenne Bitencourt no violoncelo.

Claudio Aparecido dos Reis, de 42 anos, ex-diretor da Escola Municipal Professora Carmelita Carvalho Garcia (CAIC), onde esteve a frente por quase 5 anos e agora recém-chegado na Secretaria de Educação de Ibirité disse: “Vejo o Projeto Educação Musical como pioneiro em Ibirité e de grande valia, começando com a flauta doce e se aproximando do grande sonho de uma Orquestra Jovem em Ibirité, que agora é um sonho quase completo e realizado. É um grande desafio mas também uma grande honra para a cidade que está recebendo o projeto em parceria com a Orquestra Jovem Gerais. Até descobrimos que temos ex-alunos daqui inseridos lá na Orquestra, localizada em Contagem, contribuindo, agora, com talentos daqui. Eu aconselho, apoio e recomendo esse projeto em qualquer município. No tocante e na mudança de comportamento, é notório que após um 1 mês de início do projeto já possui avanços. O interesse das crianças, o envolvimento das famílias, a oportunidade que é dada a cada aluno e a mudança comportamental são observados.”

Os professores que atuam diretamente no Projeto Educação Musical também prestaram depoimentos. Leia abaixo:

“Esse projeto chegou como uma benção de Deus na minha vida. Saber quem seriam meus alunos, conhecê-los como pessoas e acompanhar o progresso de cada um na música foi uma oportunidade única. Após 1 mês de aula, quando disseram que gostaria de seguir na área musical fiquei muito feliz, porque eu tenho música como minha profissão, como parte da minha vida, e ver que isso pode envolver na vida dos meus alunos e que eles me veem até como exemplo me deixa muito satisfeito. É uma troca de experiências. Ensinamos e aprendemos ao mesmo tempo. Acho que é um crescimento muito grande para qualquer professor do projeto. A música é um canal pra coisas novas, música é um canal pra vida.” (Marcos Vinícius, professor de contrabaixo)

“Ver o crescimento das crianças e saber que tem um “dedinho” meu ali é muito gratificante. É ótimo saber que todo esforço valeu a pena. Poder compartilhar todo aprendizado que tive no meu início agora com os meus próprios alunos e ver a alegria de cada um é imensurável e me faz ter a certeza que meu trabalho fez resultados bons. Através desse projeto houve mudanças tanto na minha vida acadêmica, quanto na minha vida pessoal. Percebo que através da música podemos buscar transformações na vida das pessoas e torná-las seres humanos melhores.” (Maria Caroline, professora de violino)

“Através desse projeto, consegui meu primeiro emprego e minha primeira experiência como professora. Nunca tinha ensinado ninguém desde o início, só havia auxiliado na Orquestra, em Contagem. É muito bacana ver o avanço, o progresso dos alunos, verem eles tocando como estão hoje e saber que contribui com isso. Assim como ensino, também aprendo muito com eles, nós trocamos muitas experiências. A responsabilidade cresceu e consegui me expressar mais com as pessoas, já que antes eu era mais tímida e tinha receio de conversar com as pessoas. Hoje, até mesmo a comunicação melhorou.” (Lívia de Paula, professora de violoncelo)

“As aulas do projeto foram de extrema importância, porque eu nunca imaginei que um projeto desses transformaria a vida de tantas crianças aqui de Ibirité. É realmente um projeto único e inovador. Trabalhei diretamente com crianças de quatro escolas, nas oficinas de flauta doce. Fui presenteada com cada uma destas escolas, com cada aluno, seja pelo comportamento, pelo comprometimento de todos e pela dedicação. Alguns moram em regiões mais afastadas, mas se esforçavam muito para não faltarem e cumprirem com atividades. O projeto é algo que acontece, que dá resultados. Fico muito feliz em saber que plantei boas sementes aqui e que futuramente irão frutificar.” (Patrícia Oliveira, professora de flauta doce)

“Este projeto acrescentou positivamente em minha vivência cidadã e intelectual. Trabalhar com crianças me amadureceu muito, pois estar à frente de uma classe onde eu sou a mais antiga e experiente me faz pensar que sou um modelo a ser seguido por elas e por isso devo me comportar como tal. Passar o que aprendi para frente da mesma forma como foi ensinado à mim me deixa muito feliz, pois assim como fizeram a diferença em minha vida, espero fazer na vida deles também. Além de ser o meu primeiro emprego, me alegro em trabalhar com o que gosto e com essas crianças, pois eu sinto que através da música podemos construir para um mundo melhor.” (Mariana Alves, professora de violino)

“O projeto me proporcionou uma responsabilidade maior, um compromisso de passar para as crianças tudo aquilo que aprendi. Hoje o meu amor pela música é muito maior do que era antes. E só de ver a importância e o interesse que os meninos tem para/com a música, é emocionante. Meu primeiro emprego, meus primeiros alunos. Experiência maravilhosa para mim!” (Lorena Bonifácio, professora de viola clássica)

“Este projeto tem uma grande importância para mim, pois nunca tinha dado aula para um número grande de alunos. Está servindo de aprendizado e experiência musical, sem contar que é muito bom atuar com crianças. Conseguimos enxergar no olhar de cada um a satisfação, a alegria em aprender. É lindo ver tamanha dedicação de cada um.” (Lívia Miranda, professora de flauta doce)

“Trabalhar com o projeto social é muito importante, como já sei do resultado porque sempre trabalhei com projetos sociais é muito gratificante para mim. Acrescentou conhecer as pessoas novas, os alunos novos, trabalhar com professores novos. Foi uma experiência muito bacana e muito importante na minha vida.” (Rodrigo Kelton, professor de flauta doce)

“Com certeza mexer com jovens e crianças a gente aprende muito, além de ensinar. Isso nos faz crescer como pessoa. Estar conhecendo novas histórias de vida, cada um com a sua dificuldade. É muito gratificante quando a gente vê o resultado final e ter a certeza de que todo esforço no fim valeu a pena. É um grande crescimento pra mim como pessoa, como ser humano.” (Renato Pedroso, maestro e professor de Prática de Orquestra)

 

IMG_9326IMG_9328IMG_9345IMG_9408IMG_9405IMG_9393IMG_9416IMG_9420IMG_9410IMG_9428IMG_9437IMG_9424IMG_9467IMG_9463IMG_9450IMG_9498IMG_9480IMG_9503IMG_9530IMG_9507IMG_9549